A importância da afetividade entre professor e aluno na educação infantil

como a afetividade pode influenciar no processo da aprendizagem e no desenvolvimento integral da criança, sob a teoria de Henri Wallon

Autores

DOI:

https://doi.org/10.56242/revistaveredas;2023;6;11;136-154%20

Palavras-chave:

Afetividade, Educação infantil, Henri Wallon, Desenvolvimento infantil

Resumo

Segundo a teoria de Henri Wallon, a afetividade entre professor e aluno é essencial para o processo de aprendizagem e para o desenvolvimento infantil. É nessa tessitura que se delineia a atual pesquisa de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do curso de Graduação de Pedagogia da Universidade Estadual do Norte do Paraná, tendo como objetivo geral: apresentar de que modo a afetividade pode influenciar no processo da aprendizagem da criança, explicitando suas contribuições para o desenvolvimento integral. A fundamentação teórica dessa pesquisa é embasada nos estudos de Henri Wallon (1968), sendo complementado pelos estudos das autoras Izabel Galvão (1995), Heloysa Dantas (1992), Abigail Alvarenga Mahoney (2009) e Laurinda Ramalho de Almeida (2009), as quais estudam a afetividade sob a teoria de Wallon. Foi realizada uma pesquisa bibliográfica e documental, tendo uma abordagem qualitativa, se utilizando das obras literárias dos respectivos autores citados acima. Baseado no estudo realizado, concluiu-se que a afetividade é de fundamental importância para o processo de aprendizagem e para o desenvolvimento da criança na educação infantil, e que por meio dela, a criança pode desenvolver as suas capacidades mentais. Ficou evidente nas pesquisas de campo que foram citadas, que a criança se desenvolve melhor nos aspectos cognitivo, motor e social, quando há a existência dos vínculos afetivos entre ela e o professor, e quando há a interação dela com o meio em que está inserida.

 

Biografia do Autor

Álvaro Martins Fernandes Junior, Universidade Estadual do Norte do Paraná

Possuo título de Doutor em Educação com ênfase em Currículo pela PUC-SP, onde fui agraciado com uma bolsa de estudos do CNPq, além de ter um Mestrado em Gestão do Conhecimento nas Organizações pelo Centro Universitário Cesumar - Unicesumar, no qual desenvolvi pesquisas na linha de pesquisa Educação e Conhecimento, sendo bolsista da Capes na modalidade I - PROSUP. Possuo pós-graduações em EAD e Tecnologias Educacionais e em Gestão de Pessoas, ambas realizadas na mesma instituição, bem como uma especialização em Marketing pelo Instituto Paranaense de Ensino-IEP. Sou bacharel em Comunicação Social com ênfase em Publicidade e Propaganda e também Licenciado em Filosofia e Pedagogia. Tenho experiência internacional, tendo sido voluntário na AIESEC Blagoevgrad (Bulgária) em 2010, onde atuei como professor nas escolas municipais da cidade por dois meses. Em 2011, fui trainee na Exevo India Ltda., trabalhando com pesquisa de mercado. Minha experiência profissional inclui atuação como Tutor Mediador no Núcleo de Educação a Distância da Unicesumar, atuando como docente em projetos de ensino, autoria de livros didáticos e orientador de trabalhos de conclusão de curso na graduação e pós-graduação. Na Uninter, atuei na Escola de Educação e na Escola de Gestão Pública. Também atuei no departamento de internacionalização, realizando projetos de educação comparada. Também Co-orientei mestrandos e doutorandos no Programa de Pós-Graduação em Educação e Novas Tecnologias - PPGENT UNINTER. 

Franciele Prado Toalhari Endo, Universidade Estadual do Norte do Paraná

Pedagoga. Atualmente trabalha com atividades pedagógicas em sala de aula e atua como estagiária facilitadora da educação inclusiva no ensino fundamental I, em uma sala de primeiro ano, na escola SESI de Ourinhos- Serviço Social da Indústria Departamento Regional/DF. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação. Já trabalhei em creche da rede pública como estagiária com crianças de dois a três anos. Trabalhei também como auxiliar e estagiária na educação infantil numa escola privada.

Siderly do Carmo Dahle de Almeida, Universidade Estadual do Norte do Paraná

Doutora em Educação e Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2012), Mestre em Educação pela PUCPR (2006). Especialista em Gestão da Informação pela Fundação de Estudos Sociais do Paraná (1999) e em Educação a Distância pela Faculdade Educacional da Lapa (2009). É graduada em biblioteconomia pela Universidade Federal do Paraná (1988), em Pedagogia pela Universidade Castelo Branco (2010) em Filosofia pela UNINTER (2018) e em Letras pela UNINTER (2019). Desenvolve pesquisas e tem experiência na área de Educação, com ênfase em tecnologias e mídias educacionais, currículo, formação de professores, gestão da educação, ensino fundamental e educação infantil, educação a distância, pesquisa em educação e comunicação científica. Atuou na Prefeitura Municipal de Curitiba com Educação básica por 15 anos, entre 1991 e 2006, tendo neste período trabalhado com Educação Infantil e Primeiros anos do Ensino Fundamental. Implantou e coordenou os Faróis do Saber, bibliotecas de bairro instaladas nas Escolas Municipais e atuou na Coordenação Pedagógica das Usinas de Conhecimento, programa do governo instalado em alguns municípios do Estado do Paraná. Trabalhou na Unicesumar como Docente na graduação e Coordenadora dos Cursos de Pós-Graduação na área de Educação e foi docente do Programa de Mestrado em Gestão do Conhecimento nas Organizações. Coordenou por 6 anos o Programa de Mestrado e Doutorado Profissional em Educação e Novas Tecnologias do Centro Universitário Internacional Uninter onde, atualmente, exerce funções docentes. Atua como docente no Programa de Pós-Graduação em Educação - PPEd - da Universidade Estadual do Norte do Paraná.

Referências

ALMEIDA, L. R. Wallon e a Educação. ln: Henri Wallon: Psicologia e educação. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

AMARAL, S. A. Estágio categorial. In: Henri Wallon: Psicologia e educação. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

BASTOS, A. B. B. I.; DÉR SIMÕES, L. C. Estágio do personalismo. In: Henri Wallon: Psicologia e educação. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

BRASIL. [Constituição (1988)] Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Presidência da República, 1988.

BRASIL. Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 16 jul. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm#art266. Acesso em: 21 ago. 2022.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDB. Lei nº 9394/1996 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília: MEC; SEB, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Conselho Nacional da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC; SEB; DICEI, 2013. 546 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, 2017.

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília, MEC; SEF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/volume2.pdf. Acesso em: 21 ago. 2022.

DANTAS, H. A afetividade e a construção do sujeito na Psicogenética de Wallon. In: PIAGET, VYGOTSKY, WALLON: teorias psicogenéticas. São Paulo: Summus, 1992.

DÉR SIMÕES, L. C.; FERRARI, S. C. Estágio da puberdade e da adolescência. In: HENRI WALLON: Psicologia da educação. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

DUARTE, M. P; GULASSA, M. L. C. R. Estágio impulsivo emocional. In: HENRI WALLON: Psicologia e educação. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

FERNANDES JUNIOR, A. M.; ALMEIDA, F. J.; ALMEIDA, S. C. D. A pesquisa brasileira em Educação sobre o uso das tecnologias no Ensino Médio no início do século XXI e seu distanciamento da construção da BNCC. Ensaio - Avaliação e Políticas Públicas em Educação, [s.l.], v. 30, n. 116, p. 620-643, jul. 2022. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-403620220003002943. Disponível em: https://revistas.cesgranrio.org.br/index.php/ensaio/article/view/2943. Acesso em: 21 maio 2023.

GRANDINO, P. J. Wallon e a psicogênese da pessoa da pessoa na educação Brasileira. In: JUNQUEIRA, P. (trad.). Henri Wallon. Recife: Fundação Joaquim Nabuco; Editora Massangana, 2010. 134 p. il. (Coleção Educadores)

GALIANI, S. S. A afetividade nas práticas pedagógicas: atitudes e expressões verbais nas interações professora-crianças, sob a perspectiva de Henri Wallon. 2013. 113 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual Paulista, Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudente, 2013.

GALVÃO, I. Henri Wallon: uma concepção dialética do desenvolvimento infantil. Petrópolis: Vozes, 1995.

GASPARIM, L. Interações em sala de aula: vinculações afetivas e a constituição da pessoa para Henri Wallon. 2012. 148 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Educação, Curitiba, 2012.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

KULMAHNN Jr., M. Histórias da educação infantil brasileira. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, p. 5-18, ago. 2000.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MAHONEY, A. A.; ALMEIDA, L. R. (org.). Henri Wallon: Psicologia e educação. São Paulo: Edições Loyola, 2009.

MOREIRA, J. A. S.; LARA, A. M. B. Educação Infantil no Brasil: história e políticas educacionais. Revista Ibero - Americana de Estudos em Educação, Maringá, v. 10, n. 4, p. 1278-1296, out./dez. 2015.

PASCHOAL, J. D.; MACHADO, M. C. G. A História da educação infantil no Brasil: avanços, retrocessos e desafios dessa modalidade educacional. Revista Risted br, Campinas, n. 33. p. 78-95. mar. 2009.

TRIVINIOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987. p. 131.

WALLON, H.; BESSA, A. M. (trad.). Henri Wallon: a evolução psicológica da criança. Lisboa: Edições 70, 1968.

ZAZZO, R. In: BESSA, A. M. (trad.). Henri Wallon: a evolução psicológica da criança. Lisboa: Edições 70, 1968.

Downloads

Publicado

2023-06-29

Como Citar

MARTINS FERNANDES JUNIOR, Álvaro .; PRADO TOALHARI ENDO, F. .; DO CARMO DAHLE DE ALMEIDA, S. A importância da afetividade entre professor e aluno na educação infantil : como a afetividade pode influenciar no processo da aprendizagem e no desenvolvimento integral da criança, sob a teoria de Henri Wallon. VEREDAS - Revista Interdisciplinar de Humanidades, [S. l.], v. 6, n. 11, p. 136-154, 2023. DOI: 10.56242/revistaveredas;2023;6;11;136-154 . Disponível em: //periodicos.unisa.br/index.php/veredas/article/view/471. Acesso em: 12 jun. 2024.