A influência das sententiae de Sêneca na filosofia jurídico-política de João Calvino

Autores

DOI:

https://doi.org/10.56242/revistaveredas;2023;6;12;128-143

Palavras-chave:

João Calvino, Reforma protestante, Sententiae, Sêneca, Clemência, Retórica, Forma literária

Resumo

O presente artigo pretende analisar a possível influência das sententiae senequianas na filosofia jurídico-política do reformador do século XVI, João Calvino, em especial, a partir de seu clássico da teologia A Instituição da Religião Cristã. Para tanto, será exposto o caminho trilhado pelo autor protestante para a sua formação intelectual, de modo a enfatizar o como a forma de escrita utilizada por Sêneca marcou em definitivo Calvino. Partindo da análise da primeira obra publicada pelo autor do Séc. XVI, Commentaire du Traité de la Clémence de Sénèque, procuraremos mostrar em que medida o pensamento de João Calvino se aproxima do filósofo romano, bem como quais são os termos de seu afastamento teórico dos princípios professados pelo mundo pagão. Utilizamos como metodologia a análise das fontes primárias e da literatura crítica.

Biografia do Autor

Silvio Gabriel Serrano Nunes , UNISA

Bacharel (2007), Licenciado (2009), Mestre (2011) e Doutor (2017) em FILOSOFIA pela Universidade de São Paulo (USP) com bolsa outorgada pelo Programa Institucional de Bolsas de Doutorado Sanduíche no Exterior - PDSE / CAPES para estágio na UNIVERSITÉ PARIS 1 PANTHÉON - SORBONNE sob a supervisão do Professor Doutor Bertrand Binoche para o período de Maio a Dezembro de 2015. Bacharel em DIREITO pela Pontifícia Universidade de São Paulo (PUC-SP / 2003), Advogado (2004) e Especialista em DIREITO ADMINISTRATIVO pela Faculdade Autônoma de Direito de São Paulo (FADISP / 2008). PROFESSOR DO MESTRADO INTERDISCIPLINAR EM CIÊNCIAS HUMANAS E DO MESTRADO ACADÊMICO EM DIREITO MÉDICO DA UNIVERSIDADE SANTO AMARO (UNISA). Atua nas áreas de FILOSOFIA POLÍTICA e DIREITO PÚBLICO com ênfase em ÉTICA, POLÍTICA, DIREITO CONSTITUCIONAL e DIREITO ADMINISTRATIVO. Pesquisa a questão do DIREITO DE RESISTÊNCIA e a REFORMA PROTESTANTE nas origens do ESTADO MODERNO e seus desdobramentos, com ênfase na tradição do CONSTITUCIONALISMO CALVINISTA e seu legado em institutos contemporâneos de Direito Público como o CONTROLE JURISDICIONAL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, o CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE DAS LEIS e o conceito de LEIS FUNDAMENTAIS. Outro ponto relevante na pesquisa consiste na análise das QUESTÕES SOBRE A PARTICIPAÇÃO DAS MULHERES NO PODER POLÍTICO, uma discussão frequente nos tratados políticos dos calvinistas no século XVI. Foi Professor de Direito Constitucional, Direito Administrativo, Ciência Política e Filosofia Jurídica na Universidade Nove de Julho (2017-2019). Professor da Escola Superior de Gestão e Contas Públicas do Tribunal de Contas do Município da disciplina "Organização Administrativa do Estado" (DIREITO ADMINISTRATIVO) no Curso de Especialização em "Gestão e Controle Externo das Contas Públicas". Professor de História do Direito da EBRADI - Escola Brasileira de Direito. Pesquisador do IBContas - Instituto Brasileiro de Contas Públicas. Professor Convidado do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Constitucional - COGEAE/PUC-SP. Paralelamente às atividades regulares de pesquisa em Filosofia Política e Direito Público mencionadas, estuda: SEGUNDA REPÚBLICA ESPANHOLA, GUERRA CIVIL ESPANHOLA, DITADURA FRANQUISTA, O PROCESSO DE TRANSIÇÃO DEMOCRÁTICA DA ESPANHA E SUA REPERCUSSÃO NA REDEMOCRATIZAÇÃO DO BRASIL, CONSTITUIÇÃO ESPANHOLA DE 1978 E SUA INFLUÊNCIA NA CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA DE 1988.

 

 

Taynam Santos Luz Bueno, Universidade Federal de Alagoas

Professora de Filosofia na Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e no Programa de Pós-graduação em Filosofia (PPGFIL/UFAL). Doutora, mestre, bacharel e licenciada em filosofia pela Universidade de São Paulo - USP (2016), com estágio de doutoramento na Université de Paris I - Pantheon-Sorbonne (2014). Membro do GT ANPOF Ética e Política na Filosofia do Renascimento.

Referências

BACKUS, I., “Calvin’s concept of Natural and Roman Law”. In: Calvin Theological Journal 38, (2003), pp. 7–26.

BOISSET, J. História do Protestantismo. São Paulo: Difusão Européia do Livro. 1971.

BOUDET, J.-P.; SOT, M.; GUERREAU-JALABERT, A., Le Moyen Âge: Histoire culturelle de la France, t. 1, Jean Pierre Rioux, Jean-François Sirinelli (dir.). Paris: Editions du Seuil, 2005.

BUENO, T. S. L. “Manutenção e Legitimação do Poder em Sêneca: A Clemência como Atributo do Bom Governante”. In: Revista Perspectiva Filosófica, v. 47, n. 1, set. 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/revistas/perspectivafilosofica/article/view/248344>. Acesso em: 07 Jan. 2021.

BUENO, Taynam Santos Luz. Formação moral e ação política em Sêneca: entre o sábio e o princeps. 2016. Tese (Doutorado em Filosofia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. doi:10.11606/T.8.2016.tde-13122016-123217. Disponível em : https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8133/tde-13122016-123217/publico/2016_TaynamSantosLuzBueno_VOrig.pdf . Acesso em: 2023-10-13.

CALVINO, J. Commentaire du Traité de la Clémence de Sénèque. Tradução e edição crítica de Pierre Ferrand e Pierre-Yves Quiviger. Paris: Classiques Garnier, 2017.

CALVINO, J. Sobre o Governo Civil. Tradução de Hélio de Marco Leite de Barros, Carlos Eduardo Silveira Matos. 2ª Ed. Clássicos Cambridge de Filosofia Política. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

DINTER, Martin T. "Sententiae in Seneca" In: Seneca Philosophus. Jula Wildberger e Marcia L. Colish (Eds.), pp.319-342. Berlin, Boston: De Gruyter, 2014.

DREYER, W.A., “John Calvin as ‘public theologian’ in view of his “Commentary on Seneca’s de Clementia”’, In: HTS Teologiese Studies/Theological Studies 74(4), a4928, 2018.

HELM, P. “Calvin and Stoicism,” In: G. Frank and H. Selderhuis (eds.), Philosophie der Reformierten, Melanchthon-Schriften der Stadt Bretten. Vol. 12, Ano 2012. Stuttgart-Bad Cannstatt: Frommann-Holzboog, pp. 169–182.

HIGMAN, F. Lire et Découvrir : La circulation des idées aux temps de la Reforme. Genève: Droz, 1998.

HIGMAN, F. Lire et Découvrir : La circulation des idées aux temps de la Reforme. Genève: Droz, 1998.

HÖPFL, H. The Christian Polity of John Calvin. Cambridge: Cambridge University Press, 2008.

LUTERO, M. Sobre a Autoridade Secular. Tradução de Hélio de Marco Leite de Barros, Carlos Eduardo Silveira Matos. 2ª Ed. Clássicos Cambridge de Filosofia Política. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

NUNES, Silvio Gabriel Serrano JOHN LOCKE E AS TEORIAS DO DIREITO DE RESISTÊNCIA DE MATRIZ LUTERANA. Cadernos Espinosanos, [S. l.], n. 38, p. 189-205, 2018. DOI: 10.11606/issn.2447-9012.espinosa.2018.145925. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/espinosanos/article/view/145925. Acesso em: 4 jul. 2023.

NUNES, Silvio Gabriel Serrano. As origens do constitucionalismo calvinista e o direito de resistência: a legalidade bíblica do profeta em John Knox e o contratualismo secular do jurista em Théodore de Bèze. 2017. Tese (Doutorado em Filosofia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. doi:10.11606/T.8.2017.tde-12062017-105723. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8133/tde-12062017-105723/publico/2017_SilvioGabrielSerranoNunes_VCorr.pdf .Acesso em: 2023-07-04.

NUNES, Silvio Gabriel Serrano. Constitucionalismo e resistência em Théodore de Béze: secularização e universalidade do direito de resistir na obra de Du Droit des Magistrats sur leurs sujets de 1574. 2010. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. doi:10.11606/D.8.2011.tde-23052011-145729. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8133/tde-23052011-145729/publico/2010_SilvioGabrielSerranoNunes.pdf . Acesso em: 2023-07-04.

NUNES, SILVIO GABRIEL SERRANO. Constitucionalismo, retórica e reforma protestante calvinista no século XVI: um estudo sobre os monarcômacos John Knox e Théodore de Bèze. Revista Sísifo, v. 13, p. 181-197, 2021.

NUNES, Silvio Gabriel Serrano. Théodore de Bèze, O Liberum Veto e os "Artigos do Rei Henrique" da Polônia: As Origens do Esplendor Constitucional no Século XVI e da Decadência Política da Sereníssima Res Publica Poloniae Diagnosticada por Rousseau no século XVIII. Cadernos de Ética e Filosofia Política, [S. l.], v. 1, n. 36, p. 125-137, 2020. DOI: 10.11606/issn.1517-0128.v1i36p125-137. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/cefp/article/view/171625. Acesso em: 4 jul. 2023.

PITKIN, B. “Erasmus, Calvin and the faces of stoicism in Renaissance and reformation thought”. In: SELLARS, J. The Routledge Hand Book of Stoic Tradition. Routledge, 2016. pp. 145 – 159.

SÊNECA. Cartas à Lucílio. Tradução, prefácio e notas de J. A. Segurado e Campos. 4ª Edição. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2009.

SÊNECA. Tratado sobre a clemência (De Clementia). Tradução, introdução e notas de Ingeborg Braren. Petrópolis: Editora Vozes, 1990.

SINCLAIR, Patrick. Tacitus the Sententious Historian: A Sociology of Rhetoric in Annales 1–6. University Park: Pennsylvania State University Press, 1995.

TOLEDO, C. A. A.; e Vieira, P. H., “João Calvino (1509-1564) e a educação no século XVI." In: Acta Scientiarum: Human and Social Sciences 28, no. 2, 2006. pp. 191-199. Disponível em https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=307324782001

ZANTA, L. La renaissance du stoïcisme au XVI siècle. Paris: Librarie Ancienne Honoré Champion, 1914.

Downloads

Publicado

2023-12-14

Como Citar

GABRIEL SERRANO NUNES , S. .; SANTOS LUZ BUENO, T. A influência das sententiae de Sêneca na filosofia jurídico-política de João Calvino. VEREDAS - Revista Interdisciplinar de Humanidades, [S. l.], v. 6, n. 12, p. 128-143, 2023. DOI: 10.56242/revistaveredas;2023;6;12;128-143. Disponível em: //periodicos.unisa.br/index.php/veredas/article/view/531. Acesso em: 28 fev. 2024.