As ocupações escolares como espaço de memórias e (re)conhecimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.56242/revistaveredas;2023;6;11;74-82

Palavras-chave:

Ocupações escolares, Identificação, Memórias , Reconhecimento

Resumo

O Movimento de ocupação das escolas e universidades públicas, ocorrido no Paraná em 2016, tornou-se um marco histórico no que diz respeito à participação política de adolescentes e jovens estudantes, que diante do novo conjunto de diretrizes apresentadas pelo governo federal, mobilizaram-se em todo o Estado, vindo a ocupar 850 escolas públicas estaduais, além de universidades e outros prédios públicos. Uma vez que este movimento teve abrangência também na cidade de Foz do Iguaçu, onde 23 escolas foram ocupadas, esta exposição apresenta como recorte espacial duas destas escolas, que servirão como objeto de análise, com a finalidade específica de compreender os principais elementos de identificação de seus participantes, que permite conceber memórias, ao mesmo tempo em que promove o reconhecimento.

Referências

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

BOURDIEU, P. Sobre o Estado. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

D’ALÉSSIO, M. M. Memória: leituras de M. Halbwachs e P. Nora. In: Revista Brasileira de História. São Paulo, ANPUH; Marco Zero, v. 13, n. 25/26, set. 1992 a ago.1993.

GUIMARÃES, E. Semântica do acontecimento: um estudo enunciativo da designação. 2. ed. Campinas: Pontes, 2005.

KUBOYAMA, R.; CUNHA, F. C. A. “A escola é nossa!”: territorialidades do movimento estudantil nas ocupações das escolas de Londrina (PR) em 2016. Revista Nera, v. 22, n. 49, ago. 2019.

LÍDER 1. As ocupações escolares em Foz do Iguaçu. [Entrevista concedida aos autores], 3 jan. 2017.

LÍDER 2. As ocupações escolares em Foz do Iguaçu. [Entrevista concedida aos autores], 29 ago. 2018.

POLLAK, M. Memória e Identidade Social. In: Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, 1992.

XIMENES, S. B. Contra quem os estudantes lutam? As ocupações secundaristas no epicentro das disputas sobre a escola pública. In: MEDEIROS, J.; JANUÁRIO, A.; MELO, R. Ocupar e resistir: movimentos de ocupação das escolas pelo Brasil (2015-2016). São Paulo: Editora 34; FAPESP, 2019.

WEBER, R.; PEREIRA, E. M. Halbwachs e a memória: contribuições à história cultural. Revista Territórios e Fronteiras, v. 3, n. 1, jan./jun. 2010.

Downloads

Publicado

2023-06-29

Como Citar

GALDINO, M.; BRUSTOLIN DE OLIVEIRA, R. As ocupações escolares como espaço de memórias e (re)conhecimento . VEREDAS - Revista Interdisciplinar de Humanidades, [S. l.], v. 6, n. 11, p. 74-82, 2023. DOI: 10.56242/revistaveredas;2023;6;11;74-82. Disponível em: //periodicos.unisa.br/index.php/veredas/article/view/457. Acesso em: 12 jun. 2024.