Jornalismo e Reprodução de Estereótipos

HIV/AIDS e Homossexuais no Brasil na Década de 1980

Autores

  • Pablo de Oliveira Lopes UNISA

Palavras-chave:

Jornalismo. Homossexuais. HIV-AIDS. Estereótipos.

Resumo

 A presente pesquisa, de caráter interdisciplinar, analisa como a atividade jornalística participa da reprodução de estereótipos e de que maneira pode contribuir para a manutenção de preconceitos e convenções sociais relacionados aos homossexuais no Brasil da década de 1980. Por meio da identificação de textos e imagens voltados aos homossexuais e à AIDS, publicados no jornal O Globo, procuramos verificar a presença de estereótipos ou fatos que possam caracterizar a formação de preconceitos em relação aos sujeitos da pesquisa, no discurso jornalístico, e analisar como se dá a construção dos estereótipos, compreendendo as condições materiais e mentais em que são forjados. O jornal O Globo constitui a fonte selecionada para o desenvolvimento da pesquisa devido à influência que exerce sobre o discurso da imprensa brasileira. O Globo está entre os veículos de maior circulação no país e ocupa, portanto, posição importante na divulgação das notícias, na reprodução de estereótipos e na disseminação de preconceitos. Apesar de ser publicado no Rio de Janeiro, a penetração em outros estados brasileiros transporta a retórica de seus jornalistas para diversas regiões do território nacional. A retórica do preconceito é uma das formas de manifestação do discurso social. A linguagem é capaz de nos apresentar os papéis desempenhados pelos indivíduos em uma sociedade e pode constituir-se em uma forma de representação mental. Pode-se desenvolver um estudo com base no inventário cronológico dos vocábulos, buscando seu significado de acordo com os valores impostos pelo discurso discriminatório de quem os utiliza. O estudo do léxico pode indicar a mentalidade de uma determinada época. Sendo assim, a reflexão sobre os textos publicados no jornal impresso recairá sobre a semântica das palavras. Palavras assumem conotações distintas na dependência do contexto em que são empregadas e da ideologia de quem as usa. Noções, conceitos, comportamentos, atitudes e políticas públicas são influenciados por discursos, cujas estruturas dependem dos vocábulos usados e do que significam. Isso se aplica à disseminação de preconceitos e de estereótipos sobre determinados grupos populacionais, como é o caso dos gays. A partir dessa premissa, propõe-se a análise dos textos jornalísticos da década de 1980, considerando-se a abordagem dispensada à AIDS e aos homossexuais, naquele período histórico, a partir da desconstrução dos discursos, como sistematizado por Tucci Carneiro (1994).

Downloads

Publicado

2019-07-01

Como Citar

DE OLIVEIRA LOPES, P. Jornalismo e Reprodução de Estereótipos: HIV/AIDS e Homossexuais no Brasil na Década de 1980. VEREDAS - Revista Interdisciplinar de Humanidades, [S. l.], v. 2, n. 3, p. 154, 2019. Disponível em: //periodicos.unisa.br/index.php/veredas/article/view/66. Acesso em: 28 fev. 2024.